A Internet das Coisas Indústriais (IIoT)

Até recentemente, apenas alguns poucos fabricantes de sensores e máquinas estavam interconectados e faziam o uso da computação embarcada, geralmente organizada em uma pirâmide de automação vertical, na qual sensores e dispositivos de campo com inteligência limitada e controladores de automação alimentavam um sistema abrangente de controle de processos de fabricação [1]. Com os avanços no domínio da eletrônica e da comunicação os usuários passaram a ter acesso a mobilidade de dispositivos onipresentes, em que a utilidade destes não está limitada a conectar usuários a internet, mas tem papel ativo no mundo ciberfísico [2].


A evolução tecnológica que culminou no IoT provém da identificação por radiofrequência (RFID), usado para gestão de armazéns, especialmente para identificar produtos e monitorar estoques, que evoluiu para os dispositivos sem fio de forma ainda tímida nos anos 90 e, mesmo que nos anos 2000 a internet já fosse amplamente utilizada, necessitava de muita interação humana [3]. De 2009 em diante, o compartilhamento de informações entre dispositivos e entre localidades permitiu a visualização de forma rápida das aplicações industriais e de consumidores (Figura 1).


Figura 1 - Evolução do IoT [3]

Sabe-se que a internet das coisas (IoT) não é o resultado de uma única tecnologia nova, mas de vários desenvolvimentos técnicos complementares que forneceram recursos que, juntos, ajudam a preencher a lacuna entre os mundos virtual e físico, dentre os quais se destacam a comunicação e cooperação, endereçamento, identificação, sensoriamento, atuação, processamento de informações incorporadas, localização e interfaces de usuário [4]. No entanto, com a internet das coisas industriais (IIoT), mais dispositivos passaram a ser enriquecidos com computação embarcada e tornaram-se conectados ao usar estas tecnologias como padrão, permitindo que se comuniquem e interajam entre si e com controladores mais centralizados [1].


Como os sistemas de produção com IoT estão interconectados com sistemas baseados na internet, geram ambientes de trabalho mais eficazes porque impelem os principais padrões para o desenvolvimento de novas estratégias e otimizações operacionais que, no entanto, dependem da arquitetura e da inteligência incorporada ao sistema, tendo em vista que está nas mãos da inteligência e do conhecimento humanos integrarem de maneira ideal as tecnologias da indústria 4.0, dentre elas o IoT, de formas mais eficientes e eficazes [5]. A Figura 2 apresenta um framework do IoT, que demonstra como elementos podem ser incorporados em cada aplicação.


Figura 3 - A visão funcional do IoT [2]


O IoT é aplicado no contexto da indústria 4.0 em diversos segmentos e métodos, como nas indústrias de mineração e alimentos, na logística, e-commerce, varejo, gestão de armazéns, gestão de energia, manufatura e logística, indústria da construção, gestão de tempo de vida de produtos, telecomunicação e indústria da moda. A COGNI tem atuado com a aplicação do IoT nos segmentos industriais, de geração distribuída (solar, eólica) e comerciais, gerando valor para seus clientes na elaboração de projetos e comprovação dos seus resultados, permitindo maior produtividade e eficiência.


Assim, podemos dizer que o IIoT é uma das mais promissoras tecnologias, que corresponde a um enorme um conjunto de ferramentas para gerar oportunidades para a evolução da manufatura em seus diversos níveis organizacionais.

 

Nos próximos dias, daremos continuidade demonstrando cada uma destas tecnologias e como as organizações podem se beneficiar. Além disto, apresentaremos alguns estudos de caso de como estas tecnologias vem sendo aplicadas em indústrias de pequeno, médio e grande porte, trazendo benefícios reais a todos os envolvidos no processo.


Veja algumas das publicações da série:


Se você gostou do tema, não deixe de avaliar e compartilhar! Também deixe o seu comentário, para que possamos debatermos sobre estas tecnologias e suas aplicações!

 

Para receber mais artigos como este, inscreva-se na nossa newsletter de publicações. Basta preencher o formulário abaixo.


 

Sugira temas para discutirmos no nosso blog! Basta preencher o formulário abaixo!



 

Referências:

[1] SANDENGEN, O. C. et al. High Performance Manufacturing – An Innovative Contribution towards Industry 4.0. International Workshop of Advanced Manufacturing and Automation. Anais...Manchester, Reino Unido: 2016.

[2] SINGH, A.; PAYAL, A.; BHARTI, S. A walkthrough of the emerging IoT paradigm: Visualizing inside functionalities, key features, and open issues. Journal of Network and Computer Applications, v. 143, p. 111–151, 2019.

[3] MANAVALAN, E.; JAYAKRISHNA, K. A review of Internet of Things (IoT) embedded sustainable supply chain for industry 4.0 requirements. Computers & Industrial Engineering, v. 127, p. 925–953, 2019.

[4] BISIO, I. et al. Exploiting context-aware capabilities over the Internet of Things for Industry 4.0 applications. IEEE Network, p. 108–114, 2018.

[5] OZTEMEL, E.; GURSEV, S. Literature review of Industry 4.0 and related technologies. Journal of Intelligent Manufacturing, p. 1–56, 2018.


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo